DESIGN GRÁFICO

Portographic

A segunda exposição studium . galeria (Portographic) assenta na leitura crítica do Porto presente.

Lasciva, a cidade sente-se invadida, explorada, objetificada, circundada de desejo e expectativa, pornográfica. 

Um Porto gráfico, sempre! 

Porque as nossas bases são o discurso escrito, o discurso visual: a aventura gráfica. Uma excitação pulsante de quem se sente galvanizado com este Porto tão sensual.

Portographic

Uma cidade que decidiu ser marca e identidade, assumido-se por tudo e através de todos.
O que é esta cidade, agora cheia de hotéis e restaurantes? 
O que é feito das nossas bases, do nosso gosto e do nosso trato? Que língua estrangeira é esta na qual todos temos de nos fazer entender? 
É essa a identidade tão factual, tão pontual ao ponto de ter um ponto como ponto final?
Pronto. Prefiro os três pontos (…) as minhas reticências.

Nesta exposição são explorados os clichés urbanos de quem ainda conhece, calcorreia e sente esta cidade todos os dias.
É uma visão de dentro para fora. É lembrado o glamour decadente dos dizeres, são vistas imagens do Porto que ainda é nosso e não esse Porto maquilhado, a rebentar pelas costuras que um dia nos atira ao Douro. Um Porto consumidor das suas gentes, cheio de tanto vazio.

Uma crítica leve, uma crítica contida, uma crítica breve a criadores e recriados; a crítica fluorescente para que um dia se faça ainda mais e bem melhor. Uma visão construtiva.

Nesta exposição a incidência do discurso de cada poster foca o nome da tipografia escolhida e logo depois o seu desenho no trocadilho ambíguo entre a cidade e o meu discurso. 
Simples e eficaz. Muito Porto, muito gráfico.
Com design.

Scroll Up